Historia de Pescador Por João Medeiros
Post:
Chuva, frio e muitos peixes no Parque Maeda (junho/2016)

Por Pedro Medeiros,

Fala pessoal, retornei ao Parque Maeda, desta vez para pescar exclusivamente no Tanque 7, atrás das grandes carpas-cabeçudas com equipamento adequado para as mesmas e também espécies variadas na modalidade Ultralight de fundo.

Eu e o amigo André saímos de Londrina-PR e percorremos cerca de 470km até o Maeda, que fica proximo de Itu-SP.

O local tem uma estrutura gigantesca, com parque aquático, esportes radicais, pousada, restaurantes, e até passeio de helicóptero. Um grande complexo onde uma das áreas de lazer envolve a parte da pesca com o famoso tancão, tanques de engorda, e os tanques do parque.

A pousada oferece uma ótima estadia, com chalés muito confortáveis que contam com, banheiro, tv, frigobar, ar-condicionado, e área externa com piscina.

Chegamos de noite e já fomos para o tanque 7 realizar a pesca noturna, atrás das carpas. Apesar do pouco tempo de pesca e do cansaço da estrada, capturamos algumas cabeçudas que nos deram boas vindas:

Fomos dormir animados para o dia seguinte. Bem cedo, passamos na loja de pesca do Maeda para comprar alguns itens básicos que estavam faltando:

Iniciamos o dia pescando com duas técnicas diferentes, uma delas é a tradicional pescaria de carpas-cabeçudas com bóia e chuveirinho e a outra pescaria de fundo com equipamento ultralight, ambas utilizando das Massas Paturi.

No ultralight, nos divertíamos com variadas espécies, apesar do frio era uma ação atrás da outra:

Destaque para as belas tilápias Saint Peter, com coloração única.

Tambacu, apesar de não ser o nosso foco nessa pescaria, observamos os pescadores capturando muitos com bóia cevadeira e anteninha tanto de dia quanto durante a noite.

André capturou uma gigante carpa-espelho:

Piauçu:

Pacu:

Curimba:

Tilápia:

E até carpa-cabeçuda apareceu na pesca de fundo com material Ultralight:

Na montagem com chuveirinho onde o alvo eram as carpas-cabeçudas, tivemos constantes ações de peixes grandes e briguentos que mesmo com chuva durante boa parte do dia não pararam de comer.

O padrão de tamanho das carpas do Maeda é de impressionar!

Ainda deu tempo de pescar algumas horas durante a noite:

E para fechar a pescaria com chave de ouro, o último e maior peixe foi uma gigante carpa-cabeçuda:

Foi fisgada com massa carnívora de fundo no equipamento Ultralight, apesar de incomum, as cabeçudas podem ser fisgadas nessa modalidade, pois acabam ''sugando'' seu anzol com a massa.

Terminamos assim essa pescaria no espetacular Parque Maeda. Mesmo com condições adversas como frio e chuva, capturamos muitos peixes, com certeza é um dos melhores pesqueiros do Brasil.

Agradeço ao amigo André que me acompanhou nessa viagem, ao proprietário Fernando que nos recebeu e a todo o pessoal do Maeda, pelo ótimo atendimento e serviços prestados.

Equipamentos:

Ultralight:

Varas MS Micro de 6lb e 8lb com molinetes compatíveis e linha monofilamento 0,25mm, montados de fundo, somente com o anzol direto na linha.

Como isca utilizamos a Massa Paturi carnívora.

Para as carpas-cabeçudas:

- Varas Star River Tana Spin 2,40m e 2,70m 15-30 lb + Molinetes Altima 4000 + Linha monofilamento 0,37mm e 0,40mm.

Como isca utilizamos as infalíveis Massas Paturi:

Montagem que eu utilizo:

Muito obrigado a todos e até a próxima História de Pescador!

Massas Paturi:

(11) 4971-2441

(11) 98578-0705

Parque Maeda:

Rodovia SP 75 Km 18

(11) 2118-6200

(11) 2118-6262