Historia de Pescador Por João Medeiros
Post:
Ensinando o irmão mais novo a pescar! Tambacus na miçanga (jan/2014)

Fala pescadores! Depois de um bom tempo, pude realizar minha primeira pescaria em 2014 no Pesqueiro Toca do Jacaré aqui na minha cidade, em Londrina-PR. e desta vez levei junto meu irmão mais novo, Gregório, que com 14 anos está começando a gostar de pescaria, e meu amigo Gustavo.

Nas minhas últimas pescarias na Toca, utilizei bóias torpedo e iscas naturais, pelo fato de que as inúmeras tilápias do tanque principal não nos davam chance para fisgar os tambacus com bóia cevadeira e miçanga.

Mas como somos pescadores insistentes levei apenas um conjunto, no caso utilizei uma vara Okuma Reflexions de duas partes e 9' (2,70m) 30lb e uma carretilha Shimano Speedmaster com linha Onix Soft monofilamento 0,37mm:

Então começei pescando com bóia cevadeira, utilizei a Barão gigante, com um chicote Onix nylon 0,43mm de 3,5m (com miçanga não atrapalha o arremesso, é só deixar o chicote para trás, no chão mesmo), uma bóinha guia, modelo lambari número 4 da Barão (lembrando que para regular a bóinha na linha, lembre-se de tirar o pino e colocá-lo novamente, se você correr a bóia com o pino travado o seu isopor vai rasgar e a bóia vai ficar frouxa na linha), e um anzol Owner modelo Wide Gap (Robaleiro) número 1/0 ou 2/0. Sobre as miçangas são vários os modelos que utilizamos, mas a que tem funcionado ultimamente comigo é a ''bolinha de futebol''. Até as 18h não utilizei e.v.a na linha, apenas a miçanga na montagem chamada de ''palminho'', isso é, com a miçanga cerca de 20cm afundada na água, pois os peixes não estavam explodindo muito na ceva e sim comendo devagar por baixo.

Detalhe do Anzol Owner 1/0 com a miçanga bolinha de futebol:

A dica é, na hora que arremessar, logo antes da bóia tocar a água, segure o dedo no carretel para que o chicote estique e caia na frente da bóia cevadeira, sem enrolar, e assim que a ceva acabar, recolhe e arremesse novamente. Para fisgar fique de olho na bóia guia, o segredo é recolher a linha ''bamba'' até que você sinta o peso do peixe, e assim dar uma fisgada certeira para cima.

E para minha felicidade neste dia as tilápias não estavam com fome e os pacus e tambacus começaram a comer lentamente na ceva de ração, e de vez em quando surgiam enormes explosões na ceva.

De cara já peguei alguns pacus pequenos de até 3kg, mas depois os grandes tambacus começaram a rodear a ceva e não deu outra, foi só tamba na linha, o primeiro deu 7kg mas já me fez matar a saudade de pegá-los na miçanga:

O gustavo começou pescando com dois e.v.a's na linha e já acertou um belo tamba pretão na superfície, explodiu bonito, 13kg:

E em uma cevada vi enormes tambas comerem ao lado da minha miçanga, o coração já dispara e a bóia afunda, vi que se tratava de um enorme tamba, dei a vara pro Gregório se virar e fui apenas dando os conselhos durante a briga com o peixe:

Tiramos o peixe, 17kg de força! Eu que saí na foto:

Acertamos mais alguns tambas e pacus menores, poucas fotos:

O greg criou coragem e saiu pra foto abraçando o tamba, sujar a camiseta faz parte!

Um temporal com muito vento se formou e a chuva começou a cair, nos abrigamos e esperamos passar, depois disso o vento sumiu e antes do final da tarde flagramos uma bela obra de Deus, não teve como não registrar:

Então o final da tarde chegou, e como o dia estava ótimo resolvemos ficar até o anoitecer. Reparei que após o temporal os tambacus começaram a explodir com força na ceva, alguns até saltavam inteiros para fora d'água, esse dia foi inesquecível, então mudei a montagem, para colocar a miçanga na superfície, coloquei 3 e.v.a's redondos, dois na linha  e um no olho do anzol, com a ajuda de pedaços de palito de dente eu consigo fixá-los na linha.

A partir daí era um arremesso e uma ação, muito peixe mesmo, com certeza o melhor dia de pescaria com bóia cevadeira e miçanga que tive no Toca do Jacaré.

O Gustavo acertou um belo baguá de 19kg:

Gregório quis sair na foto, nessa hora o Gustavo tirou a foto e eu estava com outro grandão engatado.

Tirei o meu, 15kg:

Como eu e o Gustavo estávamos fazendo alguns dublês, eu deixava o Gregório brigando com meu peixe, e então conseguimos tirar o monstro, 20kg.

Após alguns peixes perdidosm anzóis abertos e etc, Gregório sai pra foto com mais um enorme tambacu:

Perdíamos muito tempo brigando, embarcando e tirando fotos dos peixes, se estivéssemos em mais pescadores iam ser muito mais peixes, então a noite praticamente chegou e era hora de ir embora, mas ainda deu tempo de tirar o último tamba de 14kg.

Isso aí pessoal, esse foi um dia de sorte na Toca do Jacaré, onde as tilápias não comeram e só tinham tambas na ceva de ração. Empolgado com essa pescaria, voltei novamente ao Toca, porém as tilápias voltaram a comer e não acertei grandes peixes na miçanga.

Detalhe para o enorme tambacu que o nosso amigo Guily acertou no fim de semana na Toca do Jacaré, peixe de 25kg fisgado na no e.v.a com miçanga modelo ''Anteninha'' que ele próprio faz, Parabéns Guily.

Gostaria de agradecer também ao Ademir, Jair, Junão e Guily, parceiros que conheci ano passado e já fizemos muitas pescarias juntos, e em todas me ensinam algo novo na pescaria com miçangas e bóia cevadeira! Valeu parceiros!

Obrigado pessoal! Boas pescarias a todos!