Historia de Pescador Por João Medeiros
Post:
Muitos tucunarés na Estância Zé Tacca em Anaurilândia-MS (setembro/2014)

Fala pessoal! No final do mês de Setembro/2014, fui conhecer a Pousada Estância Zé Tacca, que fica localizada próxima a cidade de Anaurilândia-MS em uma propriedade rural da família.

A pousada se situa em um local estratégico longe dos pontos mais conhecidos e pescados da Represa Sergio Motta, são pouquíssimas as pousadas que pescam por lá, onde consequentemente o impacto e pressão de pesca são baixíssimos.

Últimos 10km, de estrada de terra:

Chegamos, placa com site, logo e contato:

Vista aérea do local, propriedade da família Tacca e o Rio Paraná, na época da foto ainda não haviam os chalés da pousada:

O local é excelente para a pesca do tucunaré pois fica em um ponto muito bom na Represa Sergio Motta, Rio Paraná.

Ao chegar fui surpreendido com a receptividade do proprietário Fernando, seu pai José e dos funcionários. Fomos realmente muito bem-vindos!

Refeitório, local muito familiar com ambiente rural, comida caseira deliciosa:

E o melhor de tudo, os CHALÉS são novos, muito espaçosos, limpos e contam com:

Internet Wi-Fii

- TV Led;

- Ar condicionado Split;

- Roupa de cama e toalhas;

- 3 camas;

- Banheiro interno;

- Varanda;

- Espaço externo para churrasco;

- Pia externa;

- Mesa com cadeiras para churrasco, baralho, etc;

- Serviço de higienização e limpeza enquanto estamos na pescaria.

Algumas fotos dos chalés:

 

Vista do chalé, algum metros a frente, o rio Paraná:

Ao entrar no quarto, encontrei um papel colado na parede, com a seguinte frase:

No refeitório também:

A Estância Zé Tacca apoia o Pesque & Solte e estipulou uma cota que seguem com rigidez. Só pelo fato da pousada ser da pesca esportiva, antes mesmo da pescaria começar eu já tinha certeza que estava em um local que apoiaria e voltaria muitas vezes! A pousada dá um descontinho especial pra quem pratica a cota ZERO, isso é, não mata nenhum peixe.

Olha a mensagem pintada no alojamento dos guias, Apoio a Pesca Esportiva:

Enquanto eu me arrumava e tomava um belo café da manhã, Fernando Tacca e os guias iam ajeitando os barcos, bebidas, gelo, gasolina, etc.

Todas as embarcações são bem largas, plataformadas, com bancos e com motores 40 HP, ideal para navegar e pescar nas águas do Rio Paraná:

Nosso guia foi o Adilson, mais conhecido como Cabeça, conhece demais, muito educado, tranquilo e defende a pesca esportiva, vamos para a pescaria:

Como normalmente para a época, bastante vento na parte da manhã. A beleza do local e suas estruturas são magníficas e muito propícias para a pesca do tucunaré:

O guia Adilson buscou locais abrigados e rasos próximos as margens, muita estrutura  e água transparente, pescaria praticamente no visual:

Antes da viagem, o Fernando me contatou e pediu que eu elaborasse e fizesse para ele dez peças de camisetas manga longa com tecido dry fit, como uniforme para os piloteiros, fiz então utilizando a logo da pousada e o tucunaré-azul, olha como ficaram. Frente:

Costas:

Duas coisas ainda valem ressaltar:

- O Fernando, antes da pescaria, me perguntou se eu preferiria que o piloteiro pescasse ou não, e eu autorizei, pelo fato do barco ser bem grande e para ter uma maior descontração durante o dia. Ele pescou porém não jogou atrás dos rebojos ou arremessou nos peixes vistos, a prioridade era do turista, se você preferir eles não pescam, sem nenhum problema, são orientados para isso. Diferenciada a atenção do proprietário Fernando com seus clientes!

- Em todos os barcos que vão para a água, o piloteiro porta em sua cintura um rádio de longo alcançe, para contato com outros barcos e na pousada, garantindo assim maior segurança em caso de emergência e para resolver algum imprevisto durante a pescaria. Esse aspecto me agradou bastante e me deixou bem mais seguro.

Agora vamos ao que interessa, que são os peixes! Na manhã do primeiro dia, mesmo com o vento e água gelada, tivemos boas ações, porém todas nas iscas de meia água. Achei interessante a qualidade dos peixes, eram raras as capturas de pequenos tucunarés, todos os peixes tinham um tamanho bom, que já emociona o pescador:

Foram em sequência, 4 belos tucunarés-amarelos na faixa de 1kg que capturei, meu irmão Pedro e o guia Adilson também capturaram bons bocudos, porém sem fotos deles:

A força desses tucunarés-amarelos é descomunal! Mas no meio deles capturei um belo tucunaré-azul com cerca de 2kg, lindo peixe:

Méritos ao guia Adilson, que visualizou o peixe e pediu para que eu jogasse em determinado local! Fiz um vídeo da sua soltura (assista em HD):

Ainda deu tempo de capturar mais alguns tucunas, minha varinha titular, Redai Black Mamba 17lb, mostrando serviço!

E já perto da hora do almoço, um baita amarelão cupinzudo!

Como os pontos de pesca são relativamente próximos, os barcos voltam para a pousada para almoçar, e depois retornar a pescaria, mais um diferencial da pousada, ganhando em praticidade e segurança.

Vista da margem da pousada:

Na hora do almoço já reparamos que o vento estava diminuindo, a parte da tarde prometia!

Retornando a pousada na hora do almoço:

Após um delicioso almoço, ao retornar para o barco, reparamos que o vento praticamente zerou e a água esquentou bem:

Logo nos primeiros arremessos, eu, Pedro e Adilson, fizemos um belo triplê, peixes fotografados e liberados!

Depois acertei um pequeno azul e meu irmão um belo amarelo, os peixes estavam encardumados, sempre pegávamos dublês ou triplês!

Mas logo depois achamos um cardume gigantesco, onde apoitados na mesma margem, capturamos cerca de 25 tucunarés, era um peixe para cada arremesso, sensacional! Separamos 6 peixes (que era o máximo que conseguíamos segurar) para tirar uma foto:

Fizemos um vídeo da soltura dos 6 tucunarés ao mesmo tempo (assista em HD):

Em uma captura do Pedro, tentei filmar os inúmeros tucunarés que seguiam o que estava fisgado, mas nas imagens não ficou nítido, valeu a filmagem da briga (assista em HD):

E o maior peixe do cardume, um belo amarelão que bateu com força na superfície, isca Bonnie 95:

Meu irmão insistiu na Firestick, e teve belos ataques na superficie:

Local onde encontramos o grande cardume:

Com as capturas, os tucunarés foram sendo liberados e espantando o cardume, então mudamos de ponto e continuamos nossa pescaria, insisti nas iscas de superfície, e capturei dois amarelos e um azul, mas o Pedro e o Adilson com iscas de meia água como a Brava 90 e Flash tinham bem mais ações que eu (sem fotos deles):

Eu troquei para a meia -água, isca Brava 90, e enquanto andávamos por entre as paliteiras com o motor elétrico, avistei um rebojo na água e perguntei ao Adilson do que se tratava, ele falou: - É peixe! Joga lá!

Não deu outra, acertei o arremesso no lugar certo, e vi de longe o enorme tucunaré riscando a água e atacando com voracidade a minha isca, muita briga, tomada de linha , nervosismo, varinha Black Mamba trabalhando no limite e peixe embarcado, era o troféu que eu estava esperando! Lindo tucunaré azul de 3kg!

Vídeo da soltura (assista em HD):

Até as 16:30h capturamos mais alguns tucunas, mais depois, como normalmente acontece, as ações pararam. Voltamos para a pousada com um saldo de mais de 60 tucunarés capturados ao longo do dia, braços doendo de tanto arremessar e brigar com os peixes! De presente um lindo pôr-so-sol:

Tomamos um belo banho, jantamos, e descansamos para o dia seguinte.

Na parte da manhã fomos pescar apenas eu e o guia Adilson, meu irmão Pedro estava indisposto e preferiu descansar mais. Logo cedinho descendo o barco pra água e vamos pescar:

Aproveitei para registrar alguns pontos de pesca mais comuns no local, a beleza é exuberante!

Acreditem, capturei um tucunaré, no primeiro arremesso do dia, pequeno mas teve de sair pra foto!

Depois uma parada nas ações, até o sol sair! Aí as coisas voltaram ao normal, alguns belos tucunarés na ponta da linha, esse peixe com uma coloração incrível:

Um belo dublê com o guia Adilson, só amarelão!

Mais um dublê:

Essa foi nossa manhã, muito vento, bons tucunarés, cerca de 12 peixes capturados. Voltamos para almoçar e na parte da tarde meu irmão foi pescar também. Como no dia anterior, o vento deu uma acalmada e as ações aumentaram, em um pequeno cardume, mais um triplê da pescaria:

E logo depois, um belo dublê:

Com as águas calmas, fomos tentar um peixe maior em pontos mais fundos, mais no meio do rio, com muita estrutura de pauleiras, o guia tem que ter muita experiência para navegar por lá:

Nesses locais mais fundos, tivemos algumas ações, sempre nas iscas de meia-água:

Um azul saiu pra foto:

Já no final da tarde, trabalhando a isca Kingfisher Flash, meu irmão recebe um grande rebojo e um tranco, peixe grande! Briga aqui e briga lá, peixe embarcado, mais um enorme tucunaré-azul, com esse peixe ele quis sair pra foto! Peixe com quase 3kg:

Eu também quis registrar um momento com o grande azulão:

Vídeo da soltura (assista em HD):

Fechamos então, a pescaria com chave de ouro e um dia com mais de 30 tucunarés capturados!

TODOS OS PEIXES FORAM SOLTOS!

E os últimos arremessos do dia serviram apenas para capturar essa bela sequência de imagens e ver como Deus é perfeito!

Voltando para a pousada, apreciando as belezes da natureza:

Mais algumas fotos do local:

Equipamentos:

Usei apenas um conjunto, que foi a sensacional vara Black Mamba da REDAI 5'8 17lb, com a carretilha Shimano Core 51, linha multifilamento Power Pro 30lb (0,23mm),  leader de fluorcarbono Maruri Master 0,45mm e snap pequeno reforçado.

Iscas que funcionaram:

Brava 90 (diversas cores), Kingfisher Flash (Osso e verde-limão translúcida), Bonnie 95 (branca) e Firestick (osso).

Gostaria de agradecer ao proprietário Fernando Tacca, ao guia Adilson e a todos os funcionários da Estancia Zé Tacca. Recomendo a todos e logo estarei de volta!

Obrigado a todos e até a próxima História de Pescador!