Historia de Pescador Por João Medeiros
Post:
Reencontrando os tucunarés da Represa Sérgio Motta (agosto/2014)

Olá pescadores! Depois de alguns meses sem pescar tucunarés, através de uma ligação do proprietário da pousada e pesqueiro BERTASSO, Fábio, me convidando para uma pescaria no local, topei e ainda convidei o grande amigo e apresentador Guilherme Alvares para gravarmos um episódio de seu programa por lá.

A pousada fica após a ponte de Presidente Epitácio-SP, em Nova Porto XV-MS, que é distrito de Bataguassu-MS, no Rio Paraná, parte represada pela Usina de Sergio Motta.

A vantagem do pesqueiro é a proximidade dos pontos de pesca, garantindo maior segurança e economia de combustível, além da pousada ser na beira do rio, onde os barcos ficam na água 24h dando bem menos trabalho para sair pra pescar.

Pescamos nos dias 13 e 14 de agosto, e as notícias eram de estar saindo muito peixe! Mas para nosso azar bem na noite anterior a nossa pescaria, entrou uma frente fria das fortes, com vento fortíssimo e chuva. Esperamos passar o vento forte e sair para pescar, porém para nossa segurança, nossa única opção era bater isca bem na frente da pousada, melhor do que nada né?

Dito e feito, saímos pro rio apenas no motor elétrico, mesmo assim o tempo estava nos fazendo ficar meio tensos, na foto a pousada ao fundo a esquerda, e o ''tempinho que se formava'.

A coisa estava feia mesmo, sem condições de navegar para pontos mais distantes:

Mesmo assim começamos a pescar e para nossa surpresa os tucunarés estavam famintos, atacando muito, então foram muitos amarelinhos como esses do Guily:

Foram poucas fotos, eu mesmo não tirei fotos com peixes menores para não atrapalhar as filmagens para o programa, tirei essas fotos do Guilherme por trás do câmera durante a gravação.

Amarelos deste porte foram inúmeros, muito briguentos. Ao fundo da foto abaixo, dá para ver a pousada:

Usando apenas a isca Kingfisher Flash cor osso, acertei o primeiro tucunaré digno de foto, quase 2kg de força, quem já pegou um amarelo deste porte sabe a violência do mesmo:

Eu estava com sorte, depois ainda acertei um belo tucunaré-azul com cerca de 2kg, sequência de fotos para o peixe:

Através desta foto feita com um Drone, mostro exatamente onde capturei os dois maiores peixes e onde tivemos ações, pescando da pousada para o lado esquerdo, para o lado direito navega-se para os melhores pontos, porem nesse dia o tempo não deixou:

Após mais algumas capturas de amarelinhos, encerramos a pescaria pois o tempo estava piorando e o vento ficando mais forte. Ventou demais a noite inteira, e a temperatura caiu demais, nunca vi uma mudança de temperatura tão brusca em 24h! Mas mesmo frio, o segundo dia amanheceu ensolarado o que já nos animou para poder sair a pontos mais distantes.

Constatamos que a água ficou extremamente gelada e sujou demais de um dia para o outro, e logo nas primeiras horas de pescaria percebemos que o dia não seria fácil, a ação dos tucunarés diminuiu bastante. Mesmo assim o Guilherme acertou uma sequência com dois pequenos azuis, um deles na firestick:

Outro:

Como o vento piorou, procuramos lugares abrigados e fomos pescar em uma bela lagoa, onde capturamos alguns tucunarés amarelos na superfície, uma sequência de fotos do parceiro:

Acabei capturando alguns amarelos na Bonnie 95, sem fotos para não prejudicar as filmagens. Enquanto o Guilherme gravava, eu dava zoom por trás e registrava alguns peixes:

Esse tucunaré amarelo tinha dois ocelos no rabo, muito interessante:

Na parte da tarde o vento finalmente deu trégua então fomos pescar no meu ponto preferido, que é no meio das pauleiras, mesmo com água suja e gelada, tivemos boas ações com dublês, e eu ainda perdi um belo azul que escapou do lado do barco.

E para fechar, um belo dublê de tucunarés amarelos:

Encerramos a pescaria, por nosso azar a frente fria entrou bem no dia anterior gelando e sujando a água, além do cosntante vento que atrapalhou bastante. Mas mesmo assim fizemos boas capturas e gravamos um belo programa. Tirei poucas fotos com meus peixes mas isso se justifica pelo fato de não atrapalhar a sequência das filmagens.

A pescaria encerrou com esse belo pôr-do-sol:

Muita gente me pergunta como chegar e os contatos do Pesqueiro e Pousada BERTASSO, então está ai um vídeo disponibilizado pelo amigo Henrique Glovacki, mostrando o caminho desde a ponte de Presidente Epitácio que liga os estados de SP e MS até a pousada, além de imagens aéreas feitas através de seu drone e números de contato. Confiram:

Equipamentos:

Varas: Redai Black Mamba 17lb e  Shimano Crucial 15lb

Carretilhas: Shimano Aldebaran Mg7 e Core Mg7

Linhas: Multifilamento 30lb (0,25mm) + Leader Fluorcarbono 0,45mm

Iscas: Kingfisher Flash, X-Rap 10, Bonnie 95 e Firestick (ambas cor osso ou branca)

Meus agradecimentos ao Fabio (proprietário) e funcionários (Flavio, Bigode, Paula, Daniel e Maria Inês) da Bertasso por nos atenderem tão bem e ao meu amigo Guily por ter aceito o convite.

Obrigado pessoal, e até a próxima História de Pescador!